O QUE É ESSA ENERGIA QUE MOVE A TERRA?

Energia que move a Terra é toda a natureza que consiste de campos contínuos de um cosmos pleno de energia. Vivenciamos, a partir de nossa percepção consciente, um mundo compartimentado, um mundo de efeitos que,  vem abrindo, em alguns segmentos científicos, uma consciência da necessidade de penetrarmos no Universo das causas e na expressão da totalidade. Tudo é energia, tudo o que move o nosso mundo, planeta e universo.

 

Na Medicina, esses dados experimentais são rigidamente cobrados, e todo o processo de pesquisa no campo da energia tem sido abortado cientificamente, não se levando em conta os milhares de relatos, em todo mundo, de curas realizadas através de uma abordagem energética.

Na Física Quântica e na Biologia, este paradigma atual sobre os campos de energia tem sido amplamente aceito e divulgado, promovendo um avanço significativo na consciência deste cosmo vivo que nos enlaça. Resume o físico Amit Goswami: “o realismo materialista que hoje predomina na Medicina postula um Universo sem qualquer significado espiritual, material, vazio e solitário. Em resumo, vivemos em crise, não tanto uma crise de fé, mas uma crise de confusão. Como foi que chegamos a este estado? Quando aceitamos o materialismo como a visão de mundo”.

À proporção que a Medicina não admite em sua base os fundamentos da física quântica, reflete-se em sua  ausência de uma percepção integrativa. Resulta dessa visão uma atuação sobre os campos interativos, um descaso cujo preço tem sido caro para os seres que pagam com suas vidas e sua saúde a compensação que a energia infalivelmente cobra, baseada nas leis de causa e efeito.

 

A Medicina alopática marcha num processo de crescente fragmentação, fixada e numa visão mecanicista, orientada para o uso maciço da tecnologia, e à margem de toda concepção sistêmica da vida. Como dizia Morris Berman, esta visão materialista do mundo exilou-nos do mundo encantado em que vivíamos no passado e condenou-nos a um mundo alienígena.

Assim como a ciência investigou sobre as leis que governam a matéria, da mesma forma,  negou o acesso à compreensão dos processos que governam os campos da criação. A questão é que esses processos do mundo continuam atuando, independentes de nossa percepção e, quando não são respeitados, promovem desequilíbrio, instabilidade nos sistemas interligados, dissociações nas inter-relações com o meio, doenças e toda sorte de distorções.

Curar sem a visão da totalidade significa suprimir. A supressão resulta em um aprofundamento do desequilíbrio, indicando que a distorção caminha em direção ao centro do Ser, partindo do físico rumo aos campos emocional e mental. Isso explica a insanidade que grassa no mundo nos dias de hoje, decorrente da atuação sistemática de quimioterápicos, cada vez mais potentes e eficazes em bloquear a expressão desse campo interno.

 

A arte de curar é, antes de tudo, a arte de perceber, de estar atento aos dois lados da dimensão da realidade. Dar-se conta, como postulava David Bohm, de que este mundo, a que assistimos a deriva de um nível mais profundo que só podemos conhecer indiretamente, denominado de mundo da ordem implícita. Essa consciência não implica negar toda a tecnologia que atingimos, mas saber adequá-la aos movimentos internos desta essência inteligente que nos habita. Procurar compreender e respeitar os padrões intrínsecos representa o berço da ética médica.

É necessária a compreensão de que as relações criativas da vida se processam nessa matriz criativa, representada pelas partículas elementares geradoras de consciência, pelo mundo implícito, tal como definido por David Bohm. Dessa forma, as correções futuras no nível do genoma, sem considerar as interconexões com essa matriz criativa, gerarão dissonância entre as duas dimensões da realidade. E, certamente, essa dissonância trará desordens e mutações posteriores em relação aos padrões estabelecidos aleatoriamente pelos programas genéticos.

Isso sem falar na implicação ética desses programas. Esse pacote de programas, que ainda inclui a possibilidade de alterar fetos em útero, evitando doenças, é visto com desconfiança por alguns cientistas. O especialista de biotecnologia Lee Silver, da Universidade de Princeton, por exemplo, afirma que a era dos bebês sob medida também poderá marcar o surgimento de “subclasses genéticas”.

 

 

A Física Quântica assinala, em todos os relatos, a busca de teorias unificadas.Segundo o físico Ervin Laszlo, a visão estabelecida da ciência está se tornando opaca e, embora as ciências naturais estejam mais avançadas do que nunca, estão longe de terem solucionado todos os mistérios e compreendido tudo que se pode compreender sobre o mundo experimentado. Ervin Laszlo afirma ainda que, ao contrário, a imagem confiante de meados do século está desaparecendo: “áreas inteiras estão faltando, como se alguém tivesse retirado algumas peças do quebra-cabeça e tivesse montado o resto”.

De fato, algumas peças importantes foram desprezadas e não consideradas sob o julgamento de serem ilusórias ou extracientíficas. E hoje nos damos conta da necessidade desses elos. Faltam dados importantes. Como em um filme cortado, fomos privados de questões fundamentais no diálogo existencial. A gravidade da questão repousa no fato de que, “no nosso filme atual”, as personagens estão vivendo um drama de graves proporções, desconhecendo-se as causas e os significados profundos que esta realidade impõe.

 

 

Em uma de minhas palestras, mostrei através da foto kirlian, o que é essa energia que esta em toda parte do nosso Universo, e podemos constatar, através da foto seja de um dedo, a energia de uma pedra, planta, água, de tudo o que nos cerca, e o quanto podemos ser afetado pela energia positiva ou negativa. Mudando o nosso pensamento, fazendo uma meditação, recebendo alguma terapia, somos capazes de mudar todo o nosso campo energético em curto espaço de tempo.  Mas vou escrever mais artigos sobre a Energia e como ela pode afetar positivamente ou negativamente no nosso corpo físico, e é, antes de tudo, um tempo de revisão e de reavaliação de todos os conceitos de descoberta de elos coerentes, que nos permitam decifrar o conhecimento das antigas Tradições, sob a nova luz da Holística.

 

Mostra o desequilíbrio Energético com falhas nos Halos

 

 

O QUE É ESSA ENERGIA QUE MOVE A TERRA?
5 (100%) 5 votes

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.

%d blogueiros gostam disto: